Ainda a Propósito dos Incêndios em Portugal…

Acho que pouca gente fala de um aspecto muito importante neste assunto dos incêndios, preocupadas em culpar este ou aquele governo ou responsável: as mudanças climáticas brutais que estão a acontecer. Essas não vão parar (pois o nosso estilo de vida não vai parar) e só podemos esperar um agravamento de fenómenos extremos de fogos, inundações, secas, tempestades, etc. como estas. Nem que parássemos de repente toda a atividade poluidora e destabilizadora no planeta (nada de aviões, barcos, carros, e até internet ou eletricidade!) ainda seriam umas décadas para a Terra restabelecer a sua homeostase. Estes incêndios eram praticamente inevitáveis, fosse que governo e proteção estivesse a postos, e isto é algo que não gostamos de sentir. Poderiam ser minimizados os danos talvez sim, mas continuaria a ser um horror. Havia um furacão nos Açores, uma massa de ar tremendamente quente, seco e elétrico foi gerada a volta desse furacão, fazendo subir ar quente de África que interagiu com a costa litoral portuguesa gerando o calor seco, elétrico e ventoso que se fez sentir, nada normal para esta altura do ano (temos batido recordes todos os anos, e isto não é sem consequências graves). Os eucaliptos funcionaram como fósforos (uma vegetação autóctone natural teria reduzido a probabilidade de fogo em pelo menos 50%), e quase não era preciso faísca para ele acender. Basta ouvir o relato de pessoas como as em baixo: o fogo “voava como setas”).

Custa-me um pouco ver a miopia da generalidade da população que continua focada no imediato e local e não vê o global, a tendência das coisas, os processos e a ligação entre tudo. O que sentimos hoje em termos globais, todas as catástrofes, é fruto de muitas décadas de um certo desenvolvimento e, tal como um comboio que vai sempre a queimar lenha e a acelerar, já começou a descarrilar e a abanar nos carris. Não esperemos que situações catastróficas e irregulares e anormais como estas sejam passageiras ou únicas. Isto faz parte de um processo que, quem é sensível e perceptivo, vê que ja tem vindo a acelerar e a fermentar ha muito tempo (desde miúdo que sinto isto com bastante clareza, e agora vejo aquilo que dizia a tornar-se realidade nos telejornais e rádios infelizmente). A nossa miopia em termos da interligação das coisas continua a não nos deixar ver o obvio, e assim o homem se torna vitima de algo que não vê, mas para o qual contribui todo os dias. Espero estar errado, mas quando isto começar a afectar a sério a comida e água como já começa então aí sentiremos mais ainda na pele…temos que estar preparados para tudo, e principalmente não estar agarrados a velhas maneiras de pensar, egoístas e míopes. Como eu sempre digo: isto anda tudo muito mais ligado do que pensamos, desde as coisas mais íntimas que pensamos e sentimos, às consequências mais macroscópicas que presenciamos. Nada é por acaso, nada é desperdiçado, e tudo é causa e consequência de tudo o resto. Estejamos em Paz e em Aceitação de tudo, pois isto vai ser muito preciso…estejamos de bem connosco mesmos principalmente! E com o Mundo!

Tranquiliza-me a ideia de que há sempre uma razão maior para tudo isto, e sabermos aceitar e “surfar” esta onda maior que nos leva (quer queiramos quer não) é um grande bem. Na verdade, não temos outra hipótese:)

Mentalidade do Desperdício e Como Acabar com os Problemas do Mundo

Mais um exemplo da falta de entendimento da interligação de todas as coisas em causas e consequências, e de como todos os actos são importantes e têm e terão repercussões no futuro.

O vídeo abaixo (em inglês) é uma análise da política de empacotamento de medicamentos pelas empresas produtoras de fármacos. Todo o sistema parece estar pensado com base em maiores rendimentos, com grandes quantidades de medicamento serem a deitados fora devido a uma má (e tudo indica voluntária) política de empacotamento. O bom-senso dita que se deve produzir aquilo que se vai gastar, para que haja o mínimo desperdício possível. Não só esse desperdício é caro (os medicamentos são muito caros de produzir) como ele irá poluir o ambiente, que eventualmente voltará para nós (nada é perdido ou desperdiçado neste mundo; pode ser escondido durante algum tempo mas vai voltar à superfície de uma forma ou outra rapidamente).

É muito provável que a mesma mentalidade esteja por trás de outras (ou todas) as indústrias, não só a de fármacos. A motivação são os lucros, e nunca se pensa no longo prazo ou na sustentabilidade das políticas. A culpa não é de um indivíduo, ou grupo de indivíduos, a culpa é de todos nós, e tem a ver com a falta de noção clara da interligação de tudo neste sistema a que chamamos Mundo ou Universo, onde tudo é causa e consequência. A causa está na motivação das pessoas: qual é e tem sido esta motivação primordialmente? O que tem feito e faz mover ainda agora o ser humano, cada um de nós? O que dizemos que é não é normalmente o que realmente é.

Continue reading “Mentalidade do Desperdício e Como Acabar com os Problemas do Mundo”

A Propósito dos Incêndios Recentes em Portugal II

A solução para todos os nossos problemas está em resolver o INTERIOR das pessoas, não o exterior como temos feito durante séculos. Não há outra solução. Isto não é idealismo ou utopia. É o mais prático que há.

Em poucos anos de estudo e prática intensiva encontrei formas de EFECTIVAMENTE eliminar os traumas e frustrações das pessoas de forma a efectivamente acabar com o seu sofrimento. Isto muda COMPLETAMENTE as suas percepção da vida e reacções, e tudo se torna mais agradável, tornando-se pessoas também naturalmente mais pacíficas, menos reactivas, e mais lúcidas. Todo o “mal” deste mundo tem origem no interior das pessoas, no seu tumulto interior, e elas também não têm culpa pois não sabem como os resolver ou o que fazer com eles. A TBI é o estudo da engenharia interior do ser humano e funciona! Digo-vos: um ser humano diferente, sem tumultos interiores e por isso muito mais “oleado” e funcional é possível! O futuro – se o queremos ter – passa por aqui!

O que vemos hoje a todos os níveis, políticos, sociais e pessoais, com julgamentos fáceis e sem pensar, com acções e reacções de puro egoísmo e interesse é fruto dos erros e disfunções que existem DENTRO de cada ser humano que os fazem reagir assim! Medos, raivas emoções insondáveis mas reais…Isto não é algo inerte e sem consequências mas afecta-nos a todos! E vêm-se e vão continuar a ver-se estas consequências a todos os níveis. Quando nos faltar comida ou água limpa para beber por exemplo – como já está a acontecer em zonas ardidas em que a água ficou contaminada pelas cinzas – aí vamos acordar? Tratemos de nós e uns dos outros. Percebo que até agora se pensasse que era impossível mudar o ser humano, ou que era utópico ou sem interesse, mas não é. O nosso estado natural de real alegria, lucidez e felicidade espera por nós. Se houver união, visão e vontade conseguimos.

A Propósito dos Incêndios Recentes em Portugal I

Um incendiário admite que “andava descontrolado” devido à separação com a mulher e começou a atear fogos com a frustração e o desnorte (Notícia). Outro, responsável por ter ateado fogo na Madeira, dizia estar sob a influência de álcool e calmantes (Notícia). Outros relatos mostram mão criminosa, certamente guiados pela cobiça. E é isto que eu intuía e que mais me entristece: as pessoas não estão bem POR DENTRO, e é por isso que o mundo está como está e acontece o desnorte que acontece, a TODOS os níveis (política local e global, terrorismo, problemas ambientais, problemas pessoas e familiares…), muito mais do que pensamos. As nossas emoções e sentimentos mais profundos TÊM influência e expressão em tudo o que nos rodeia. Nada é desperdiçado, ou por acções ou por sentimentos. Isto está TUDO ligado, e tudo começa e acaba no INTERIOR das pessoas. E o interior de demasiadas pessoas está em tumulto. Nós somos seres complexos.


A TBI procura dar um contributo valiosíssimo na erradicação destas frustrações no ser humano, a VERDADEIRA CAUSA de todo o “mal” no mundo. Sim, isso é possível – acabar com aquilo que DÁ ORIGEM ao desnorte e aos atos mais barbaricos e irracionais das pessoas. É POSSÍVEL! Eu vejo isso a acontecer todos os dias! Não temos que viver com estas frustrações, raivas e emoções e sentimentos fortes mal resolvidos. É felizmente agora possivel erradica-las MESMO! Investigue por si, sonhe e acredite num mundo melhor. O bem de todos (incluindo animais, arvores, terra, etc) é o nosso bem – mesmo! Destruir a natureza é destruirmos a nossa própria pele – literalmente! Temos que parar de olhar só para o nosso umbigo. Isto está tudo muito mais ligado do que normalmente supomos. Tratemos de nós e uns dos outros. As alterações climáticas são prova desta interligação profunda, e vamos senti-las cada vez mais. Tudo influencia tudo o resto, do mais ínfimo ao mais supremo. Pense nisto. O nosso bem-estar depende disso.

A idade Não é sinónimo de degeneração…

Eu farto-me de dizer aos meus clientes: a idade não tem nada a ver com a forma física! Mas eles não acreditam em mim! Ora aqui está uma prova provada (91 anos…vale a pena ver!) 🙂:

 

E já agora, o que SIM tem a ver com a perda de forma física e mental são as debilidades que vamos acumulando no nosso sistema, sob a forma de stresses e tensões da vida – a “ferrugem”. Desfaça-se dela de vez com a TBI e livre-se das debilidades que o impedem de viver livre!

Portugueses entre os que mais se queixam de dores!

Dor-Fibromialgia 2

Li hoje uma notícia que dizia que, de 15 países europeus, os portugueses eram os quartos que mais se queixavam de dores crónicas.

61% das pessoas inquiridas queixam-se de dores corporais todas as semanas, baixando-lhe a sua qualidade de vida e sensação de bem-estar físico e emocional, e afectando o seu rendimento no trabalho. Isto leva a custos significativos, tanto a nível pessoal e psíquico, como de financiamento público. Curiosamente a maior parte destas pessoas relaciona estas dores directamente com o seu trabalho.

Tendo já visto várias pessoas receptores das terapias da TBI livrarem-se de uma vez por todas de todas as dores crónicas que as afligiam há décadas, e tendo ouvido as suas queixas (muitas delas de facto relacionadas com o trabalho) e vendo o bem com que agora andavam, não pude deixar de ficar triste sabendo que existem hoje métodos inovadores, rápidos, eficientes e duradouros para o alívio das dores corporais crónicas que a maior parte das pessoas não conhece. É realmente uma coisa diferente e inovadora, admito, e com certeza vai demorar algum tempo a ser reconhecido.

Mas isto não quer dizer que não possa usufruir já! Por isso não pude deixar de escrever aqui o meu testemunho e deixar uma simples sugestão: se tem dores crónicas no corpo (costas, braços, pernas, pescoço, cabeça, pés, mãos) que lhe retiram a qualidade de vida e a alegria de viver não hesite, faça a si mesmo/a um favor e experimente a TBI – acredito que não se vai arrepender.

Um abraço,

Helder