O Foguetão da Saúde

Recentemente um paciente meu, depois de ver aliviadas as suas horríveis dores crónicas “incapacitantes” de uma vida na coluna, e depois de ANOS de diversas terapias e tratamentos infrutíferos (uma ocorrência comum no meu consultório), disse e bem: “sabemos mais de Marte do que destas coisas”. Verdade. Gastam-se biliões a enviar foguetões para o espaço, e biliões em investigações disto ou daquilo, mas desta verdadeira revolução ninguém fala: a capacidade de resolver problemas físicos e emocionais no ser humano de uma forma muito mais rápida e eficiente do que a que conhecemos atualmente.

É pena. Aquela sociedade que abraçar estes métodos, estudando-os, desenvolvendo-os e dissiminando-os vai estar em vantagem. A economia mundial perde todos os anos biliões por causa de doenças crónicas e incapacidades várias que são a praga das sociedades modernas. A resposta está aqui: o sistema humano é muito mais sofisticado do que pensamos, e funciona à base de informação e energia, como um computador. Assim, as pessoas o que têm são problemas de vida que afectam o seu sistema, não problemas de saude per se. São ideias (informação). Isto prova-se pois, com as TBI, sem recurso a nada externo, os sintomas desaparecem, pois algo dentro do paciente mudou – ocorreu uma re-configuração do seu processamento de informação interno. Assim, sabendo interagir efectivamente com o computador que é o organismo humano, e ajudando-o a dissolver estes problemas de vida (ideias) que o estão a “pesar”, tudo se resolve de forma rápida, natural, eficiente e duradoura: as dores desaparecem, e o bem estar físico, emocional e psicológico instala-se naturalmente. Tem sido esta a minha experiência – e dos meus clientes – uma e outra vez, ao longo de quase já 10 anos.

Só se tem que aprender esta nova tecnologia, que nem gasta equipamento, nem medicação nem nada – apenas uma pessoa competente em saber aplicá-la. O futuro, quer queiramos quer não, passa por aqui.

Tenho dito.

(Imagem Creative Commons.)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *